31/08/2017

cansei

Cansei,
Ah eu cansei
do disse-me-disse.
Cansei de esperar
o fogo acender,
o frio chegar,
a mão estender.
Cansei.
do faz de conta.
de ficar pronta
de não me acender.
Cansei.

30/08/2017

não faça


Não, não te apoquentes
Não preciso que me faças pior,
nem melhor.
Deixe que me vá só,
busque outra frente,
que me faça flor.

04/08/2017

ora, meu bem

A tristeza que causa,
ora meu bem,
nada mais é
daquela que tem.
O riso que rouba,
ora pequena,
somente faz
de tu, a pena.
Que pena,
meu bem,
saiu de cena

malabarista

Quando vinhas às sextas
trazias o calor da semana
o desejo de mergulhar
garrafas vazias.
Quando ias às segundas
levavas o ardor da cama
um afã de pilhar
promessas fugidias.
Quando enfim saías
deixavas um travo de mel
um gosto de não gostar
que sempre se repetia

03/08/2017

perdas

Perco a prosa
perco o tempo
que não me tem.
Perco o rumo de casa
perco até o trem,
mas não perco jamais
o humor, o riso fácil
que o amor sustém.

02/08/2017

à mesa

Quando sento à mesa só
reviro no prato frio
noites mal servidas,
mentira reaquecida,
companhia de ocasião.
Quando sento à mesa só
deixo no guardanapo
um beijo não dado,
ilusões no prato,
um ardido de agrião

07/06/2017

espera




Toda, toda,

para a noite me preparei.
Despi o vestido
mais lindo,
lambuzei os lábios
e esperei.

Você chegou todo prosa
acenou promessas,
eu buliçosa desejei
ebulindo.

Toda, toda,
para a noite me preparei.

05/06/2017

leveza


Minha alma é leve.
Deixe seu fardo no capacho
se quiser entrar.
E ao sair
não se esqueça de levar.

quando

Quando me deixa só,
pinto seu cabelo de loiro,
moldo suas mãos em carinho,
desenho um corpo faminto.
Quando me deixa só,
faço da poeira, sonho,
aspiro o bafo ardente,
me derreto no leito.

31/05/2017

vigília

Quero te embalar na vigília
que afasta sonhos ruins
e acorda os passarinhos
que moram em minha boca

lembra-se?

Lembra-se de quando
a gente escalava a noite,
pintava um céu de estelas,
nem precisava ser azul?
Lembra-se daquele
sol indiscreto que chegava
pra avisar que era hora de ir?
Lembra-se do que a gente
não disse?
Lembra?

16/05/2017

Dia da mulher

Sou princesa
nem rainha
muito menos
mulher maravilha.
Não quero que
me lamba c'os olhos
nem alise minha bunda
da mesa ao lado.
Nem espero flores
que murcham
quando fores.
Fui menina
sou mulher
e se me quer
vai ter que esperar
eu te querer.
Nem aí pro que der
e não vier.

perdão

Perdão, amigo,
não sou capaz de
preencher seus sonhos
grandes demais,
quem sabe, pequenos.
Perdão amigo,
jogo a toalha,
procuro coberta pra
me agasalhar.
Perdão, por
prescindir de você.

gasoso

Solidão é um estado gasoso.
É quando alguém se liquefaz
Você não pode tocar.
É estar não estando.
Violino sem cordas.

01/04/2017

lambança

De que adianta
se ela te cerca
adivinha.
Estás tão solto
ou achas que está,
abres as asas,
fazes a dança
E ela te cerca
tão cuidadosa
cuida-te criança.
Mal sabe ela,
cresceste.
E fazes uma nova,
tão nova aliança,
que não te deixa saber
se é lambança
ou amor pra valer
uma trégua, ou
quem sabe,
foi tão bom te ter.

08/03/2017

Dia da Mulher

Sou princesa
nem rainha
muito menos
mulher maravilha.
Não quero que
me lamba cos olhos
nem alise minha bunda
da mesa ao lado.
Nem espero flores
que murcham
quando fores.
Fui menina
sou mulher
e se me quer
vai ter que esperar
eu te querer.
Nem aí pro que der
e não vier.

24/01/2017

vinho

O prazer solitário do vinho
tem muita companhia:
tem queijos, tem pão,
tem copo e garrafa
e prazer, como tem.

pensamento

Quieta no meu canto
quase não ouço
a festa no vizinho,
a TV na porta ao lado
O pensamento fala comigo
e carinhoso me diz
Boa noite , amiga
vou dormir com você
pra sentir um aconchego,
uma aragem de vodka
num prato de dendê.

20/01/2017

O amor
está no ar
E eu aqui
de nariz
entupido...

brinde

Um brinde à lua cheia
que me tira o sono
aguça os sentidos
plena de tesão
Tensão.
Um brinde ao copo vazio
que me atiça a sede
oca de de carícias
sem precisão
Sezão.(bf)

chuvinha

A chuvinha na calçada
canta um canto de paz
e solidão.
Por que é tão egoísta
chuva,
que me esquece
no portão?
Quero sua friagem
derretendo
entre minhas mãos.

11/01/2017

releitura



Ela se fez tão linda
despiu o vestido mais bonito
pintou os mamilos de rosa
a boca de vermelho,
de preto o olho d’água.
Ela se fez menina
sonhou um sonho esquisito
viajou, ah viajou toda prosa
com brilho no olho,
sem trava na língua.
Ela se fez saudade
encolheu sem propósito
a dança presunçosa,
quedou no joelho
um passo, uma ginga.(BF, 2016)