30/11/2016

Inocente

Enquanto dorme
o sono dos inocentes
balanço as pedras no copo
na esperança de apagar
o fogo inclemente
que me toma o corpo
Tua febre terçã
passou quarta,
passou quinta,
mas não viu domingo chegar.

16/11/2016

Nave


Ah , meu amigo
não te dou o perdão
que não pedes.
Não te alivio o dolo
ainda que venhas
te abrigar no meu colo.
O meu prazer,
já sabes, anda distante
do teu querer.
Sou nave solta no ar
e onde quer que vá
ah, vou navegar.

04/11/2016

Era uma noite sem lua
céu de bruxas e zumbis
de pensamento assombrado
cansado voo sem rumo.

Era uma noite sem lua
sem chamego, sem ternura
não havia vivente
no caminho de avistar.

Era uma noite sem lua
nem uma só estrela
para dedo apontar. 


Era uma noite sem lua
mulher de peito vazio
de costas para o mar.

Secou

Não sou parte
não sou par
não sou
Não deixo nódoas
Não deixo nós
Não deixo
Não fico à margem
Não fico no mar
Não fico
Secou semente
secou.

leveza

Não queira cuidar de mim
sou fio que não se enrosca
cadeira sem espaldar
deixe que eu peça colo
quando quiser descansar
tenho corpo pesado
alma leve de voar

18/10/2016

01/09/2016

29/08/2016

O silêncio

Por baixo da porta
um bebê chorão,
chinelo arrastando,
chocalho de chaves.
Da fresta da janela
um vizinho tosse,
motor roncando,
avião bem longe.
Bem aqui,
o rom-rom
da geladeira,
o pingo da torneira,
um celular com tremedeira.
E ainda dizem que vivo só.

17/08/2016

às vezes


Às vezes quero
ser de novo criança
ter uma luz acesa
o café na mesa
a mão na cabeça.
Às vezes quero
uma flor de rua
a voz que insinua
uma sombra nua.
Às vezes quero
uma rima esdrúxula
clara, sem mácula,
para rimar alegria.

08/07/2016