29/10/2015

ressaca

Vou embalar
na ressaca
de noite mal dormida
no perfume
da cachaça curtida
na rede
da morte bem vinda.

Furtivos

A palavra que não diz
dá voltas à cabeça
procurando não morrer
Escapa pelos olhos
esconde-se nas mãos
em carinho furtivo
Quando transpira
derrama em alívio.
A palavra que não diz
Vai, volta, até se perder

16/10/2015


Pra onde levou
as lágrimas
que diluiam
o peito afobado?
Que fez dos soluços
das marcas
no travesseiro?
Cadê o
nó na garganta
que suspendia a vida?
Pra onde foi
a falta
que me fazia?

12/10/2015